terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Magnésio

Cloreto de magnésio é reconhecido por muitos médicos como "composto de magnésio Master" para o uso do dietético e tópica, devido à sua elevada potência e ação eficiente.

O magnésio é inegavelmente terapêuticos para o corpo humano, ainda resta muito por dizer sobre o tipo e qualidade de várias formas de magnésio.

sal de cloreto de magnésio

Nem todos os tipos de magnésio oferecer os mesmos benefícios reconhecíveis. Como outros minerais de valor nutricional, o magnésio ocorre como inorgânicos diversos e formas orgânicas da natureza. Cada uma destas formas tem diferentes graus de eficiência na bioquímica humana.

Em forma de suplemento, óxido de magnésio, a forma mais comum de magnésio vendido em farmácias e supermercados, tem sido demonstrado que têm tão baixo como absorção de 4% rate.1

Outras formas de magnésio, especialmente o cloreto de magnésio natural, tem sido demonstrado para alcançar a biodisponibilidade muito maior.

Escolher uma forma altamente solúveis de magnésio traz tanto de alta potência e benefícios superiores para a saúde. Para fast-acting uso terapêutico, cloreto de magnésio é especialmente recomendado. Uma forma particularmente seguro e natural está agora disponível em um puro óleo de magnésio, puro ou como sais de banho de magnésio, ambos extraídos de um leito do mar pristine antiga e testada livre de contaminantes.
Por Cloreto de Magnésio?
o magnésio milagre carolyn reitor

O Milagre de magnésio, por Carolyn Dean, M.D. N.D.

Segundo o Dr. Carolyn Dean, MD, ND, autor de O Milagre de magnésio e especialista em terapia de magnésio, cloreto de magnésio e outros sais inorgânicos de magnésio ocorrem como complexos de metal-ligante, substâncias ligado em torno de um único átomo de metal, central, neste caso de magnésio . Estes compostos metal-ligante podem ter, cada uma "estabilidade constante", que define sua capacidade em relação ao dissociar-se em forma iônica.

Constantes de estabilidade variam de valores inferiores a um a menos de vinte valores. No que diz respeito a formas de suplementos de magnésio, mais próximo a constante de estabilidade é zero, a mais biodisponível complementar o. Constantes menor estabilidade representam complexos solúveis, mais facilmente quebrada em forma iônica de biodisponibilidade

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

CLORETO DE MAGNÉSIO EMAGRECE

Suplemento mineral, procedente da água do mar. Catalisa a atividade de enzimas, hormônios e vitaminas necessárias à vida, estimula as sínteses bioquímicas do organismo, age sobre o sistema simpático, freando a atividade nervosa, acelera a respiração celular, influi sobre o equilíbrio neuro-muscular, entra na formação dos dentes e ossos, regula a absorção do cálcio e potássio. Equilibra o ph sanguíneo pela neutralização direta de ácidos no sangue. Como resultado, ele colabora para a formação e fortalecimento dos tecidos ósseos e cartilaginosos, revigorando o organismo e estimulando sua produção de defesas contra enfermidades. O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. Não tem contra-indicação, a não ser para quem sofra de insuficiência renal. É compatível com qualquer medicamento simultâneo. O adulto precisaria obter dos alimentos o equivalente a três doses; se não conseguir, pode aumentar um pouco a dose diária para não adoecer; dificilmente se ultrapassa o limite, pois as doses indicadas para pessoas de 40 a 100 anos são mínimas. O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo. É substituível pelo hidróxido de magnésio (leite de magnésia), pois este ao entrar no estômago reage com o ácido clorídrico, transfomando-se em cloreto.

Preparo: dissolver 33 gramas de cloreto de magnésio em 1 litro de água filtrada. Depois de bem misturado, colocar em vasilhames de vidro e guardar na geladeira. A dose é um cálice de licor (ou copo de cafezinho) segundo a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos, aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite. Em casos crônicos de doenças 2 X ao dia. Ref.: J. Shorr - Padre, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina.


As pesquisas abaixo confirmam efeito sobre:

1.Tratamento e controle da arteroesclerose
2. Baixa toxidade
3. Redução e controle da pressão sanguínea alta
4. Equilíbrio de distúrbios glicêmicos devido a interferir em um aumento da sensibilidade dos receptores de insulina na superfície das células. Isso portanto pode ser útil no controle de problemas de hiperglicemia em diabéticos.


Então o magnésio pode ajudar em:

1. Problemas circulatórios, como ateroesclerose, edemas, varizes, inchaços.
2. Risco de infarto, síndrome do prolapso da válvula mitral, arritmias, perda do tônus cardiaco.
3. Stress crônico, depressão moderada, síndrome do pânico, desgaste do sistema nervoso.
4. Inflamações como artrites, reumatismo, osteoartrites e dores como a fibromialgia.
5. Diabetes do tipo I e II.
6. Osteoporose e problemas ósseos.
7. Prisão de ventre.
8. Hipertensão.
9. Cãimbras e dores nas pernas e extremidades.
10. Ataques asmáticos
11. Rachaduras de pele, psoríases, eczema, acne, alergias e outros problemas de pele.
12. Síndrome da fadiga crônica.
13. Equilíbrio do ph sanguíneo.
14. Prevenção do câncer.
15. Equilíbrio das funções do sistema imunológico.
16. Gastrite.
17. Parkinson.
18. Síndrome da fadiga crônica.
19. Gota e ácido úrico.

sábado, 31 de julho de 2010

O Magnésio Mágico Para quatro males incuráveis e a maioria dos outros

1. O Segredo do MagnÉsiO – É indispensável conhecê-lo. Todos nós nascemos de uma única célula, que se multiplica, até a a idade adulta, em cerca de 100 trilhões de células variadas, que nos dão calor e energia. Enfileiradas, dariam uma volta ao mundo, ou mais.



• CÉLULA SADIA – Cada célula tem no seu interior um pequeno núcleo, tido como sede da vida, com toda a programação da primeira célula. O núcleo consiste de enorme conjunto de átomos, em forma de rede espiralada, onde aqui e ali há um átomo de magnésio, tipo “borrachinha” - este é o segredo! Tais células são flexíveis e ativas, como o corpo todo. Na formação das novas células, o magnésio escolhe as substâncias programadas, todas de origem animal, como único material de construção, ao menos até os 6 anos de idade, para dar acabamento ao cérebro e evitar deficiência mental. Assim, cada célula sabe e segue o programa da primeira célula, sem faltar um cabelo sequer. Nos adultos, a célula-mãe se desfaz, para evitar o “gigantismo”. O magnésio constrói as células.



• CÉLULA DOENTE – Se faltar magnésio na formação das células, invade seu lugar o cálcio, tipo “pedrinha”. Tais células vão perdendo flexibilidade e atividade, e todo o corpo endurece, envelhece e se cansa à toa. Aí, o “diabo está solto”... O cálcio mata pelo menos 80% por doenças como calcificações, artrites, ciáticas incuráveis, câncer, infartos - umas 6 mil doenças. Umas são de doer e gemer. Outras são de morrer, no duro! Mas agora temos...



• A MAGIA – Basta devolver o magnésio que falta, e ele vai direto aos núcleos chutar fora as pedrinhas, o cálcio invasor, e retoma seu lugar como “borrachinha”. Assim, o corpo endurecido volta aos poucos a ser flexível e ativo, pois o magnésio é o restaurador das células. O magnésio, com seus 18 minerais ajudantes, vai patrulhando até os últimos becos do corpo, limpa as arteriazinhas... O magnésio chega lá!



A. REFINADOS – Então o bom Deus esqueceu do magnésio nos alimentos? Não! Ele entregou o domínio da natureza perfeita ao homem racional. A culpa é do próprio homem, obcecado por paixões de ganância, gula, vaidade... O industrial visa a lucros e refina, retira o “sujinho” dos grãos de arroz e do trigo, o melaço escuro do açúcar. Do sal marinho, rejeita o magnésio, que umedece, o iodo, e mais 20 sais salubérrimos. Gaba-se do “progresso”, dos “alimentos brancos”... Desses 4 alimentos básicos, os mais consumidos no mundo, vende a bom preço esses restinhos “sujos” ao gado, para a sua saúde. Logo, sabe o que faz! No entanto, reserva para si o restante “bagaço branco” e, doente, corre à farmácia, pagando o cêntuplo por drogas ineficazes. Assim, o homem “fatura” nada menos que 50% das mortes por câncer...

O que fazer? Compre a farinha de trigo cinzenta e não a branca, que é puro bagaço, e junte ainda farelo de arroz ou trigo. Arroz, só descasque e não tire o farelo dourado, os sais da saúde. Do açúcar, apenas evapore a água, pois o açúcar amarelo faz a saúde dos nordestinos e à nossa. O sal saudável é o que se dá ao gado. Afine-o com uma garrafa sobre a mesa. Tem uns 10 minerais - é ótimo!



B. ESTRESSE – É o esgotamento perigoso, por falta de magnésio nos alimentos industria-lizados. Isso provoca em gente ativa um ciclo perigoso, assim: A falta de magnésio faz das ocupações preocupações, ânsia que gera o começo do estresse, que consome magnésio. Recomeça o ciclo, sem parar: Menos magnésio dá mais ânsia, mais estresse e menos magnésio, mais ânsia... até ocorrer o colapso, às vezes fatal. Cura certa: Siga a RECEITA GERAL (item 8) por uns meses, até sentir-se forte. Siga então o item 14, até o fim.



3. PREPARO DA SOLUÇÃO – Tenha à mão CLORETO DE MAGNÉSIO P.A. e uns copinhos de plástico para cafezinho. Encha 1 (um) copinho com esse sal, socando levemente, e o dissolva em 1 (um) litro d’água. Somente isso! Ou dissolva 100g de magnésio em 3 litros. A solução nunca estraga.

Uma dose é um copinho bem cheio da solução. Ponha uma dose num copo comum e faça uma marca com adesivo. Daí para cima, ponha água à vontade, para fazer menos amargo. Se em jejum for laxante, deixe para tomar depois do café.



4. O MEU CASO de quase paralítico, como referência. Aos 55 anos de idade, sentia estranho peso na perna direita. Aos 65 anos, virou dor intratável. Aos 69 anos formigava toda a perna ao ficar em pé (sentado, não). Então atinei ser bico de papagaio, já visível aos 55 anos, que calcificara e apertava o nervo que descia à perna. Fugia da dor sentando e, na cama, enrolado como um gato. Ouvi de um especialista: “Isso já não é um bico, mas sim um bando de papagaios! Todas as vértebras estão calcificadas, curvando a espinha. Não tem cura”. Angustiado, apelei instantaneamente ao bom Deus para dar um “jeitinho”... Pouco depois, o padre Suarez mostrou-me no livro do padre Puig o uso do magnésio...



5. MINHA CURA – Comecei com uma dose diária, durante uma semana. Tudo bem! Tomei então duas doses, sempre sentado ou enrolado até o 20º dia, quando acordei tarde e - vejam só! - estirado, reto, sem dor. Caminhar sem dor, somente no 30º dia, quando me levantei como que a sonhar de felicidade, pois nada mais me doía. Pequeno passeio, contudo, me fez voltar o peso de outrora, mas que em poucos dias também sumiu. Assim, a perna sofrida estava até melhor que a outra...



6. EFEITOS SIMULTÂNEOS – Além da ciática, curou logo o coração. Sumiram as pontadas do fígado. A prostatite aguda em um ano pouco incomodava. Três anos depois, nem sinal dela. Descalcificou-se a espinha, e em 3 anos fiquei flexível como cobra. A lucidez voltou e o cansaço se foi. Curei também a erisipela, quando voltou, tomando 3 doses durante 3 meses e matando, por certo, o último micróbio escondido nas varizes. E fiquei reto! Daí a regra: “Tome o magnésio para uma doença só e as outras curam junto”. Voltou-me, enfim, a alegria de viver. E o que darei ao bom Deus pelo jeitinho grátis? De graça o difundirei! E mais: Em 1993, descobri a cura da psoríase, que escama a pele e é incurável desde a Antiguidade. Já no desespero, tive uma luz: “O magnésio é o construtor da célula”. Mantive então úmida com magnésio concentrado a pele afetada e nova pele nasceu. Somente isso!



7. CONTRA-INDICAÇÕES – Duas, graves: Insuficiência dos rins e paratireóide (garganta). Tente devagar, com meia dose diária durante uma semana, duas meias-doses na outra semana, três meias-doses na 3ª semana, ao levantar, ao meio dia e ao deitar. Tudo bem? Então siga para o item 8, RECEITA GERAL. Mas se piorar, diminua a dose ou vá ao médico. O uso desta receita fica a seu critério, ou a critério de um médico amigo.



8. RECEITA GERAL – Ver as contra-indicações no item 7. Se não houver, tome uma dose diária durante uma semana. Tudo bem? Então tome uma dose de manhã e uma dose à noite, na segunda semana. Na fase aguda, uma dose de manhã, ao meio dia e à noite. Passada a fase aguda, volte a uma dose de manhã e outra à noite, durante meio ano ou mais, até sentir que está bem e com boa saúde. Para não recair, siga toda a vida o item 14. Com 3 doses diárias, a pressão do sangue pode subir. Se for demais, diminua o sal de cozinha, tome remédio, ou volte a tomar duas doses. Mas não largue o magnésio, sua garantia.



9. CALCIFICAÇÃO – Que somente o magnésio cura. É o mais comum, uma série de doenças até mortais: coronárias entupidas, necrose (sem vida), infarto, pontes de safena, coágulos, derrame, trombose, arritmia, arteriosclerose (sclero=duro), válvulas duras, incrus-tações tipo cera amarela, colesterol, coluna, ciática... O magnésio tira o cálcio patogênico e o fixa nos ossos, que nunca ataca. E cura osteoporose. Ver item 8.



10. ARTRITE E ARTROSE - Que só o magnésio cura. Artrite, reumatismo, gota, inflamam, com dor, as articulações nos dedos e no corpo todo. E a artrose as degenera por acúmulo de ácido úrico, que os rins já não eliminam, por falta de magnésio. Cuidado: Ver item 7, e depois o item 8.



11. CÂNCER - Que somente o magnésio evita, e infartos. As células de doentes podem estar incompletas, por falta de substâncias (refinados, depauperados) ou presença de partículas estranhas (fumo, tóxicos, radiações, metais pesados). Essas células anormais, presentes em todas as pessoas, somente se tornam perigosas ao se agruparem, causando lesões, o pré-câncer -- que o magnésio cura. Ao formar tumor, câncer, o magnésio não cura mais (mas o elixir F. Kotelak2 já curou muito câncer e diabetes). Nódulos no seio e freqüente câncer em parentes: siga logo a RECEITA GERAL (item 8). Mas câncer da pele, que dá chagas incuráveis, o magnésio cura em um ano e tanto. Siga o item 8. Assim você se salva do câncer, de infartos, de quase tudo, simultaneamente.



12. INFECÇÕES – O magnésio reforça as defesas naturais do organismo: duplica os glóbulos brancos, soldados do sangue que matam o triplo de micróbios. O magnésio é ótimo contra furúnculos, inflamações. Cura erisipela (veja item 6). Em manchas da pele, psoríase, alergias, acne, tóxicos, feridas - ponha um paninho úmido com magnésio, ou passe com a mão. Para psoríase, solução concentrada (ver item 6).

13. CIRURGIAS – Na véspera, tome de 3 a 5 doses espaçadas. Cura rápido, sem infecção e boa disposição.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Cloreto de Magnésio PA

CIRCULAÇÃO: angina, arteriosclerose, pressão arterial e colesterol elevado, infartos cardíacos, hipertensão, acidentes vasculares cerebrais, taquicardia (pulso rápido), trombose.

SISTEMA DIGESTIVO: cólicas, constipação, diarreia crónica, malabsorção, pancreatite (inflamação do pâncreas).

SISTEMA NERVOSO: apatia, confusão, depressão, desorientação, epilepsia, alucinações, irritabilidade, doença mental, esclerose múltipla, nervosismo, neurite, paranóia, doença de Parkinson, falta de memória, senilidade.

GERAL: alcoolismo, artrite, ossos quebrados, calcificação em qualquer órgão, o cancro, a Síndrome de Fadiga Crônica, diabetes, dores de cabeça, infecções e inflamações, cirrose hepática, lúpus eritematoso, enxaquecas, a velhice, os problemas da próstata, raquitismo, rigidez -- Mental e física, pele enrugada e dura, rigidez, formação de pedra na vesícula ou rins, tiróide, faringite, amigdalite, rouquidão, resfriado comum, gripe, asma, bronquite, pneumonia, broncoconstrição, enfisema pulmonar, "as doenças das crianças" (tosse, convulsão, sarampo, rubéola, cachumba, febre escarlate ...) , envenenamentos, gastroenterite, furúnculos, abcessos, erisipela, feridas.

sábado, 11 de abril de 2009

Muito cuidado aos Hipertensos

Apesar de todas as maravilhas aqui relatadas sobre os efeitos benéficos do Cloreto de Magnésio, alertamos que se você é hipertenso e pretende fazer um tratamento utilizando o Cloreto de Magnésio, procure seu cardiologista. 

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Um Remédio Incrível Para Um Mal Incurável e Outros Males

FORMAÇÕES ORGÂNICAS: Bico de papagaio, nervo ciático, coluna, calcificação, surdez por calcifi-
cação - : 1 dose pela manhã, 1 dose à tarde e 1 dose à noite. Quando curado, continuar tomando o Cloreto de Magnésio como preventivo, sempre de conformidade com a idade.

ARTROSE: Causada pelo ácido úrico que se deposita nas articulações do corpo, principalmente nos 
joelhos e nos dedos, que constantemente estão inchados e bem dolorosos. Isso acontece porque os
rins estão falhando , por falta de magnésio. Deve-se tomar cuidado com o mal funcionamento dos rins.
A dose recomendada é: 1 dose pela manhã. Se em 20 dias não sentir melhoras e continuar com 
algumas anormalidades, tomar 1 dose pela manhã e uma dose à noite. Depois da cura, continuar as doses como prevenção.

PRÓSTATA: Caso 1: Um ancião, já não conseguia urinar. Na véspera da operação deram-lhe 3 doses
como preparação. Por incrível que pareça, ái começou a melhora...e, depois de 15 dias estava curado,
sem a cirurgia. Há casos em que a Próstata regride, às vezes ao normal: 2 doses pela manhã, 2 doses
à tarde e 2 doses à noite. Ao melhorar, continuar tomando como preventivo.

PROBLEMAS DA VELHICE: 
Rigidez muscular, câimbras, trêmulo, artérias duras, falta de atividade 
cerebral: 1 dose pela manhã, 1 dose à tarde e 1 dose à noite.

CÂNCER: Consiste em células mal formadas por falta de alguma substância (refinados) ou presença
de partícula tóxica. Essas células anárquicas não se harmonizam com as sadias (não são úteis), mas 
são inofensivas até certa quantidade, a qual o Magnésio combate fácilmente, vitalizando as sadias.
Infelizmente, todo o processo canceroso, lento, não causa nenhuma dor de alerta, até aparecer o tu -
mor, que segrega tóxicos, (vírus muito variados), que invadem as células sadias em ramificações.
(aí o Magnésio só pode freiar o processo um pouco: curar, não) Há porém ocasiões onde existe um
melhor aproveitamento:

a) Se houver nódulos embaixo da pele: O Cloreto de Magnésio é um excelente preventivo, para o câncer
não progredir e formar o tumor. 

b) Além dos alimentos cancerígenos que devemos evitar (condicionados), o mais importante é guardar
o equilíbrio mineral, tomando o Cloreto de Magnésio como doses de prevenção. Basta o corpo estar
devidamente mineralizado, para se ver livre de quase todas as doenças.

c) Há ainda o câncer de pele (eptelial), que não é mortal, mas produz chagas incuráveis. O Cloreto de
Magnésio as cura: Caso 2: Um médico operou-se 3 vezes na orelha não conseguindo melhorar a ferida.
Por fim, deixou a ferida aberta. Por outro motivo começou a tomar o Cloreto de Magnésio, e depois de 
certo tempo começou a sentir melhora na orelha, vindo a sarar em 20 mêses.

FADIGA: Caso 3: Um escritor fatigado, depois de tomar o Cloreto de Magnésio durante 5 semanas, 
conseguiu terminar seu livro. Caso 4: Um ancião trêmulo, não conseguia levar nada à boca, depois de 
um tratamento de 1 mês com o Cloreto de Magnésio, voltou ao normal.

INTESTINO: Caso 5: Um professor sentia dores intestinais constantes. Fez o tratamento pelo Cloreto
de Magnésio e suas dores sumiram, desaparecendo também a fadiga. Um regulador perfeito para as 
principais funções do organismo.

COMICHÕES NA PELE: Lesões, frieiras, acne, furúnculos. 1 dose pela manhã, 1 dose à noite. ( Os 
jovens não devem tomar o Cloreto de Magnésio, pois, se sua alimentação é sadia, já estão em equilí-
brio normal).

INFECÇÕES: Se curam com remédios? Sim. Mas com uma pequena observação: O remédio dá um
tiro no micróbio e mata as células. O Magnésio é um alimento que não mata o micróbio, mas fortalece
as células, para elas triunfarem sobre ele. O Cloreto de Magnésio duplica os glóbulos brancos (sistema
imunológico) que destroem 3 vezes mais micróbios.
Na Europa, morria a 4ª parte dos anciãos, esgotados pelo inverno, de doenças respiratórias, afecções
pulmonares, bronquite crônica, pneumonia, etc...Mas em um centro de recuperação de idosos, um mé-
dico que já tinha ouvido falar do Cloreto de Magnésio e sua eficácia, colocou em prática o tratamento e
melhorou a saúde dos velhinhos considerávelmente, dando-lhes 3 doses pela manhã e 3 doses à noite.

GRIPE FORTE: 1 dose pela manhã, 1 dose à tarde e 1 dose à noite.( Estas doses não devem ser 
tomadas por tempo prolongado.)

FERIDAS E CHAGAS: Podem ser lavadas e untadas em solução concentrada de 2 em 2 dias. A cura
é rápida.

CIRURGIAS: Na véspera: 3 doses previnem rápidamente contra infecções, esgotamento, desequilíbrio
nervoso e debilidade.

DIVERSAS OUTRAS ENFERMIDADES: 
Stress, arritmia cardíaca, angina de peito, insuficiência 
coronária, artose, bico de papagaio, bursite, esporão do calcanhar, alcoolismo, acaba com as cãimbras,
proteção da gestante e do feto na gravidez e no parto, melhora o desempenho físico. Auxiliar no trata-
mento da trombose, embolias, calculos renais de oxalato de cálcio, próstata, memória, cicatrização,
perda de paladar, perda do olfato.
Não deve ser usado por quem esteja fazendo uso do Antibiótico TETRACICLINA, pois diminui a 
absorção do referido medicamento.
Não deve ser usado por quem tenha insuficiência renal grave.

O Cloreto de Magnésio é encontrado em cristais do sal e em cápsulas.
Nomes comerciais do Cloreto em Cápsula: Magnésio Z e X2.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Os benefícios para Dentes e Ossos

As autoridades médicas reivindicam que a incidência difundida da osteoporose e da deterioração dos dentes em países ocidentais pode ser impedida com uma entrada elevada do cálcio. Entretanto, a evidência publicada revela que o oposto é verdadeiro. As populações Asiáticas e africanas com uma entrada muito baixa aproximadamente de 300mg diário de cálcio estão com a osteoporose muito baixa. As mulheres Bantu com uma entrada de magnésio 200 a 300 mg diário de cálcio têm a incidência mais baixa de osteoporose no mundo. Em países ocidentais com uma entrada elevada de produtos derivados do leite a entrada média do cálcio em relação ao magnésio é de aproximadamente 1000. Mais elevado à entrada do cálcio, especialmente na formulação de produtos de leite das vacas (exceto a manteiga) mais elevada à incidência da osteoporose. 

Os níveis do cálcio, do magnésio e do fósforo são mantidos em um contrapeso de balanço pelos hormônios da paratireóide. Se o cálcio for acima, o magnésio vai para baixo e vice-versa. Com uma entrada baixa de magnésio, o cálcio sai dos ossos e aumentam os níveis nos tecidos, quando uma entrada elevada do magnésio fizer com que o cálcio saia dos tecidos e vá para os ossos. Uma entrada elevada do fósforo sem uma entrada elevada do cálcio ou do magnésio faz com que o cálcio saia dos ossos e deixe o corpo com a urina. Uma entrada elevada de fósforo com cálcio e magnésio conduz para mineralização dos ossos. 

Dr. Barnett, um cirurgião ortopedista medicando em dois condados diferentes dos ESTADOS UNIDOS com níveis muito diferentes do mineral no solo e na água. No condado de Dallas com níveis de cálcio elevados um baixo nível de concentração de magnésio as fraturas eram muito comuns, quando em Hereford com magnésio elevado e cálcio baixo estes eram quase ausentes. No condado de Dallas o índice do magnésio dos ossos era 0.5% quando em Hereford era 1.76% em uma outra comparação que o índice do magnésio nos ossos em pacientes com osteoporose era 0.62% quando em indivíduos saudáveis eram 1.26%. 
O mesmo aplica-se para os dentes saudáveis. Em um estudo de Nova Zelândia encontrou-se que os dentes resistentes à caries tiveram na média duas vezes a quantidade de magnésio que nos dentes propensos a cárie. A concentração média de sulfato de magnésio nos ossos é dada como aproximadamente 1%, nos dentes aproximadamente 1.5%, nas presas do elefante 2% e nos dentes dos animais carnívoros feitos para esmagar os ossos é 5%. Com respeito à força dos ossos e dos dentes pensar do cálcio como o giz e do magnésio como o supercola. A supercola do magnésio liga e transforma o giz nos ossos e nos dentes superiores.
Monte sua revenda VOIP
http://www.griffodigital.com.br